fbpx

No aniversário do Porto de Santos, o presente seria uma ligação seca que promova o desenvolvimento do complexo portuário e valorize a relação Porto-cidade, escreve Casemiro Tércio, em artigo publicado hoje no jornal A Tribuna. “O melhor projeto é o túnel, por levar em consideração o caráter técnico, a questão econômica e o foco no bem-estar da população”, afirma.


Além dos já conhecidos argumentos pró-túnel – a multimodalidade, a capacidade de preservar o canal do Porto e a expansão do complexo portuário-, Tércio aponta outro argumento importante: com o projeto da ponte, a concessão da Ecovias seria renovada e o usuário do Sistema Anchieta Imigrantes (SAI) passaria a pagar apenas para viabilizar o projeto, sem se beneficiar dele. Veículos de passeio que nada têm a ver com o projeto pagarão por ele. Já o projeto do túnel se pagaria apenas com a tarifa de uso semelhante à da balsa – usou, pagou, argumenta.


Leia o texto completo:

Hoje, dia 2 de fevereiro, o Porto de Santos completa 129 anos. O aniversário do maior Porto da América Latina, um gigante brasileiro, estimula antigos e novos debates em prol de avanços para sua operação e benefícios para toda a região. Entre os temas urgentes, destaca-se a já quente discussão para a resolução de um gargalo histórico da Baixada Santista – a ligação seca entre Santos e Guarujá e sua importância para o desenvolvimento econômico e social da região e do porto e sua hinterlândia.

A viabilização de um projeto para a ligação seca seria um grande presente de aniversário para o Porto de Santos e, especialmente, para a comunidade. E claro, que este seja baseado a três pilares de decisão: o caráter técnico, a questão econômica e o foco no bem-estar da população. Mais que uma alternativa, uma solução que seja calcada na relação porto – cidade. Uma ligação seca que respeite o cidadão e a atividade portuária.

Neste cenário, o projeto do túnel imerso se mostra como a única opção viável e que reúne todas essas especificidades. Só o túnel proporciona mobilidade urbana, inclusão, acessibilidade e, ao mesmo tempo, protege o erário e a moralidade pública, além de proteger e potencializar os negócios do Porto.

O túnel é melhor do ponto de vista logístico, já que conta com três faixas de rolagem, atende o VLT, o transporte de massa, assim como atende ciclistas e pedestres. Esse conjunto de infraestruturas atende não só o cidadão das duas cidades, mas também o caminhoneiro do Porto.

O túnel é a opção mais econômica e com menor custo de implantação do que os outros projetos, como o da ponte que impactaria severamente a operação no principal porto do país com uma barreira física no canal de navegação. Logo no Porto de Santos, que responde pela movimentação de quase um terço da balança comercial brasileira.

O valor do pedágio no Sistema Imigrantes-Anchieta (SAI), com uma possível extensão de contrato de concessão para viabilizar o projeto da ponte, exemplifica bem qual rota deve ser seguida. Sem uma nova modelagem de concessão, o preço do pedágio de R$ 28 não cai e esse valor seria perpetuado. Se esse contrato fosse revisto, o preço poderia baixar para o patamar de R$ 5. Ou seja, com o projeto da ponte, a concessão seria prolongada e o usuário da SAI passa a pagar apenas para viabilizar o projeto. Veículos de passeio, que nada tem a ver com o projeto e não vão se beneficiar da ponte, pagarão o preço. Já o projeto do túnel, que custa R$ 2,5 bi, contra os R$ 3,9 bi da ponte, se pagaria como uma tarifa semelhante à da balsa. Usou, pagou.

Os argumentos técnicos reforçam uma tendência global, já defendida pelo ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas, de que ‘ponte não combina com porto’. Todos os aspectos, entre eles, o ambiental, o social e o econômico, atestam que o túnel é única alternativa para atender essa reivindicação centenária da população da região e, de fato, dar um presente de aniversário para o Porto de Santos e para os municípios envolvidos.

*Casemiro Tércio Carvalho, executivo do mercado de infraestrutura, ex-CEO das Autoridades Portuárias de Santos e São Sebastião, porta-voz do Movimento Vou de Túnel