fbpx

O Porto de Santos é o principal gerador de riquezas do País, o maior da América Latina e responsável por grande parte do Produto Interno Bruto (PIB) do país. Mesmo durante a pandemia, o setor não deixou de operar, impulsionando a importação e a exportação e colaborando para colocar nas mesas de milhões de brasileiros alimentos e insumos de saúde em um período desafiador. Por isso, o Porto necessita de uma infraestrutura logística de excelência, com modais modernos para dinamizar o seu acesso. Diante desse cenário, o projeto de túnel ligando Santos a Guarujá é essencial para impulsionar o movimento portuário.

Vale lembrar que portos do mundo todo estão construindo túneis e derrubando pontes, como afirma o engenheiro Tarcísio Celestino. O projeto do túnel entre Santos e Guarujá é tão eficiente que já conquistou o apoio de diversos políticos que representam a região, além do governo federal, empresas e instituições da região. Recentemente, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, voltou a afirmar que a ligação seca ideal é pelo projeto imerso.

O governo federal planeja transformar o Porto de Santos no maior terminal portuário do Hemisfério Sul. E, para além do movimento de escoamento da produção, está a relação porto-cidade. É sempre importante lembrar que, além do setor produtivo local, o túnel vai beneficiar milhares de moradores da região, que sonham com a solução da ligação seca entre Santos e Guarujá.

O terminal de Santos movimenta 30% das trocas comerciais brasileiras. Além disso, está localizado a apenas 70 quilômetros da região mais industrializada do Hemisfério Sul e do maior mercado consumidor e produtor da América Latina, a grande São Paulo, onde vivem mais de 20 milhões de pessoas. O Porto de Santos está a menos de 200 km de cerca de 90% da base industrial do Estado de São Paulo e sua área de influência primária abrange ainda os estados de Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, que concentram mais de 60% do PIB nacional e que dependem da principal cadeia logí­stica do paí­s.

Expansão exige adequações na infraestrutura

A presença do Porto no Estado de São Paulo cria um ambiente adequado para o comércio exterior, gerando empregos e desenvolvimento para a Baixada Santista, estado e país. Logo, o terminal precisa estar em permanente processo de evolução, com implementação de infraestrutura e logística eficiente.

Ciente da importância de impulsionar o desenvolvimento do setor, o governo federal tem discutido propostas de melhoria da infraestrutura e da logística do porto. Afinal, os portos necessitam, por exemplo, se adequar às dimensões das embarcações. E, na medida em que o comércio marí­timo de cargas se amplia, é necessário que a infraestrutura e a logística acompanhem esse desenvolvimento. Exemplo disso é a eminente chegada dos super navios, que dependem de um calado adequado e de que não haja interferências na navegação no canal.

A modernização, ampliação e manutenção da infraestrutura do complexo portuário vem se abrindo para a iniciativa privada, principalmente na ampliação de terminais. O elevado crescimento da produtividade e da capacidade operacional, com sucessivos recordes de movimentação, demanda ações de revitalização da infraestrutura portuária.

Mesmo diante dos grandes desafios gerados por cenários macroeconômicos e políticos, a movimentação de cargas cresceu ao longo do ano. Por isso, a Autoridade Portuária de Santos busca manter e ampliar a sua infraestrutura e a eficiência de seus processos, visando crescimento futuro e a consolidação de uma cultura de alto desempenho.

(com informações do site do Porto de Santos)