fbpx

Foto: Movimentação no Porto de Santos. Matt Mawson/Getty Images

O projeto do túnel imerso para a ligação seca avança, integrado ao processo de desestatização do Porto de Santos e, em breve, será discutido pela sociedade durante as audiências públicas previstas para outubro, conforme afirmou o site da revista Veja. O Ministério da Infraestrutura decidiu pelo túnel, já que a ponte representa risco para a limitação futura do crescimento do porto, devido ao crescimento das embarcações pelo mundo, informou a Veja.

Segundo a revista, o secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, disse que os estudos de viabilidade estão quase prontos e que até outubro deve ser aberta a consulta pública para a desestatização do Porto de Santos. A informação foi dada à rádio TC, segundo a revista.

Nesta terça-feira (14), na Comissão de Viação e Transportes (CVT) da Câmara dos Deputados, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, reafirmou que serão investidos R$ 16 bilhões de investimentos no Porto de Santos em acessos e na gestão e aprofundamento do canal.

O tema da desestatização também será debatido na região no dia 21 de setembro, durante o 2º Encontro Porto & Mar 2021, promovido pelo Grupo Tribuna. O evento também vai abordar a competitividade e o futuro dos portos desestatizados.

Entre os palestrantes, estará a diretora da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) Flávia Takafashi, o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni, o presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Alexandre Cordeiro, o superintendente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Cleverson Aroeira, e a diretora da Secretária de Parcerias em Transportes do Programa de Parcerias em Investimento (PPI), do Ministério da Economia, Ana Luiza Sales.

Há uma grande movimentação no governo federal e na região para discutir esse tema tão importante para o futuro de Santos: o Porto. E o túnel é parte fundamental para o projeto de desenvolvimento não só do complexo portuário, mas da Baixada Santista como um todo.

Clique aqui para ler a notícia na Veja.