fbpx

Reportagem do Portal Terra destaca que uma das principais obras que o novo concessionário do Porto de Santos terá que assumir com a desestatização da Autoridade Portuária será o túnel. A obra terá 1,7 km de extensão e vai substituir um percurso de 43 km via rodovia ou a longa espera pelas balsas que ligam as margens de Santos e do Guarujá.

A obra estimada em R$ 2,9 bilhões é uma das exigências feitas a quem vencer o leilão de privatização da Autoridade Portuária de Santos. O prazo para início e conclusão do túnel será definido até a publicação do edital de desestatização, no fim de 2022, conforme previsão do governo federal.

O túnel deverá ser utilizado por aproximadamente 40 mil pessoas por dia. A estrutura será construída a 20 metros de profundidade no canal do Porto de Santos, para não comprometer o tráfego dos navios. A previsão é que o calado chegue a 17 metros, contra os 15 metros atuais.

O projeto inclui três faixas de rolamento por sentido, além de integração com veículo sob trilhos (VLT), ciclovia e passagem urbana. “Há uma preocupação de garantir a mobilidade urbana, em melhorar a qualidade de vida da população. Não se trata apenas de garantir estruturas internas do porto, mas sim de melhorar essa relação portuária com a cidade”, diz Rafael Furtado, secretário substituto de Fomento, Planejamento e Parcerias do Ministério da Infraestrutura.

O jornal O Estado de S. Paulo divulgou uma ampla reportagem sobre o processo de desestatização do Porto de Santos, afirmando que a proposta está em fase final de elaboração para ser submetida nas próximas semanas à avaliação do Tribunal de Contas da União (TCU).

A expectativa atual é a de que, até outubro, possa haver parecer favorável ao leilão e que o edital definitivo seja publicado. O texto cita que dos R$ 18,5 bilhões de investimentos obrigatórios previstos, R$ 3 bilhões estão reservados para a construção do túnel entre Santos e Guarujá.