fbpx

Túnel conta com o apoio de mais de 50 empresas, incluindo a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)

O cronograma do projeto do túnel ligando as duas margens do Porto de Santos prevê a entrega de um estudo de viabilidade via concessão administrativa, por meio de uma Parceria Público Privada (PPP). A afirmação é do consultor do Movimento Vou de Túnel, o engenheiro naval Casemiro Tércio, que falou sobre o tema no programa de rádio ZR News, ao lado de Marcelo Sammarco, advogado especialista em direito portuário.

“Estamos em momento de oportunizar projetos e uma delas é a ligação seca”, avaliou Sammarco. Os dois especialistas apontaram os avanços no projeto do túnel e destacaram os benefícios do projeto para a população e para a cidade.

Segundo Sammarco, o sonho da ligação seca já perdura há 100 anos, por isso a população ainda tem o receio de que projeto não seja concretizado. Porém, o apoio de mais de 50 empresas ao Movimento Vou de Túnel –  com destaque para a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) –  demonstra a força e viabilidade crescente do projeto, destacou.

Para Tércio, outra comprovação de que o projeto avançou é o recebimento de estudos pelo recente chamamento publicado pela Autoridade Portuária, além da proposta de inclusão do projeto na privatização do Porto ou via Parceria Público Privada (PPP). “Independentemente de a privatização ocorrer ou não, a ideia é entregar ainda esse ano um estudo demostrando que o túnel pode ser feito via concessão administrativa ou via PPP, na qual a Autoridade Portuária licita uma concessão e uma terceira empresa opera a obra e lidera o plano”.

O novo projeto não contempla as desapropriações previstas no último traçado, e a obra não prejudica a operação de atracação dos navios. “O túnel sairá no alinhamento da última estação do VLT na região do Porto, na Avenida Senador Dantas, eliminando 100% das desapropriações em Santos. Assim, não haverá custo de demolição do enclave e construção”, explicou Tércio.

Além da versatilidade do túnel de atender a diversos públicos, o fato de não realizar mais desapropriações diminui o custo da obra. “Estamos finalmente diante de uma situação concreta: tirar do papel um projeto de ligação seca para atender à sociedade de um modo completo, resolvendo o problema da demora da balsa”, afirmou Sammarco.

Os acessos ao túnel também foram pensados de forma a favorecer os moradores. “O acesso ocorrerá diretamente na Perimetral, permitindo a quem vem da Ponta da Praia acessar de forma mais rápida o túnel. Com o fim da operação da Libra e com a implantação de um corredor maior de exportação de grãos para uso do modal ferroviário, haverá alívio do trânsito no emboque da Ponta da Praia até o túnel”, enfatizou Tércio, citando que o trânsito de caminhões será maior entre Outeirinhos e Saboó.

Portanto segundo o consultor, é possível realizar a gestão do túnel pensando o comportamento do trânsito, a mudança de faixa, a velocidade, a tarifação diferenciada para estimular o usuário. “Tudo isso é possível administrar para que haja harmonia entre Porto e cidade. Esse tipo de gestão é realizado, por exemplo, no rodoanel de Barcelona, restringindo o horário de caminhões, prática também comum na Marginal do Tietê, em São Paulo”.

A segregação do trânsito é contemplada no projeto do túnel, de forma a permitir maior fluidez na cidade. Caminhões de carga vindos de São Paulo com destino ao Porto não precisarão acessar o túnel. Logo, não irão cruzar a cidade, de forma a evitar adensamento de trânsito e poluição. “O caminhão desceu a serra, vai direto para o terminal”. Além disso, com a tendência da diminuição de transbordo de carga entre margens e o aumento da presença do transporte ferroviário, haverá maior equilíbrio no trânsito de cargas na cidade, pontuou Tércio.

“O túnel não vai atender somente ao Porto, ele é de todos, atende ao transporte de carga de passageiros, de carga, utilitário. Enfim, é um projeto que respeita todos os usuários”, disse Tércio. “O projeto do túnel atende ao trânsito, à cidade, pedestre, à bicicleta, ao VLT e ao Porto”, disse Sammarco.

Ouça a entrevista completa no link:

https://www.facebook.com/watch/live/?v=503356107331612&ref=watch_permalink