fbpx
Primeiro túnel para navios do mundo. Imagem: Kystverket / Projeto da Snøhetta

A Noruega anunciou este mês que vai construir o primeiro túnel de navios do mundo. A previsão é que o processo de licitação seja concluído este ano e que as obras se iniciem em 2022 para inauguração do projeto entre 2025 e 2026. O projeto segue uma premissa mundial de garantir mais segurança para a navegação marítima (à exceção dos grandes navios de cruzeiros de luxos), mesma proposta do túnel projetado para o Porto de Santos.

O engenheiro naval Casemiro Tércio Carvalho, ex-presidente da Autoridade Portuária de Santos (SPA) e consultor da campanha Vou de Túnel, tem amplo conhecimento sobre os projetos de ligação seca e vem alertando que há uma tendência mundial de se construir túneis em lugar de pontes, principalmente em ambientes portuários.

“A experiência internacional nos mostra que a ligação seca nos portos do mundo é imersa. Não existe ponte em rota de navegação nos principais portos espalhados pelo globo. Inúmeros são os exemplos de países que têm apostado na construção de túneis em detrimento de projetos considerados obsoletos e que inviabilizam a passagem de navios maiores. Todos eles seguindo recomendações quase de mandatórias da PIANC (Associação Mundial de Infraestrutura de Transporte Marítimo) indicando tais soluções imersas como as melhores”, escreveu o especialista, em artigo publicado na imprensa.

O túnel da Noruega é um exemplo dessa tendência. Ele tem 1,7 quilômetros de distância, 37 metros de altura e 36 metros de largura. Por ele passarão navios de cargas e frotas de viagens costeiras, sem precisar acessar a perigosa área de Stad, localizada no oceano ao longo da costa norueguesa, repleta de vento, corrente oceânica e ondas.

Da mesma forma, o canal do Estuário em Santos demanda cuidados para a manobrabilidade, devido às suas proporções. Uma ponte representaria um perigo à navegação, enquanto que a ligação pelo submerso garante a segurança e agilidade das operações. Segundo a Praticagem de SP, o canal de um porto não deve ter um obstáculo físico, e, neste sentido, o túnel não traria nenhum risco. 

O projeto da Noruega custará US$ 325 milhões (R$ 1,8 bilhão) e foi reinserido no orçamento do governo norueguês para 2021 por conta da pressão de partidos da oposição. Em Santos, o projeto do túnel está orçado em R$ 2,5 bilhões, além de R$ 1 bilhão em investimentos para ligações das perimetrais.  Ele vai abrigar bicicletas, skates, veículos e pedestres e conta com apoio do governo federal, que entende que a obra é a mais adequada para o desenvolvimento do Porto.

Confira no link do Olhar Digital mais informações e fotos do ousado projeto europeu.