fbpx

Cerca de 145 milhões de toneladas de mercadorias deverão ser movimentadas em 2021 no cais do Porto de Santos. Para os próximos anos a demanda anual projetada é de mais de 200 milhões de toneladas. Neste contexto, planejar as operações futuras do Porto de Santos para preparar o complexo para os anos que virão é a proposta do Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp), que elege nova diretoria em janeiro.

Segundo reportagem de A Tribuna, 2021 será um ano decisivo no processo de desestatização da Autoridade Portuária de Santos. Há a expectativa do Governo Federal de que o modelo de concessão seja definido no ano que se inicia. A contribuição da sociedade será fundamental no período de consulta pública que antecede o processo.

O presidente do Sopesp, Regis Prunzel, afirma que o novo comandante da entidade terá desafios que vão além das operações portuárias. Uma das questões envolve a mobilidade urbana e a polêmica envolvendo a ligação seca entre as duas margens do Porto de Santos. “O que precisamos é ter opções seguras, que não inviabilizem as operações”, afirmou Régis Prunzel.

Além da ligação seca, entre essas necessidades do Porto de Santos, o presidente do Sopesp aponta a viabilização da chegada de navios maiores – com 366 metros de comprimento – ao cais santista. Leia a reportagem: https://www.atribuna.com.br/noticias/portoemar/2021-o-ano-que-definir%C3%A1-o-futuro-do-porto-de-santos-1.134737