fbpx

Mais um feriado se aproxima com a comemoração da Revolução Constitucionalista de 1932, no dia 9 de julho. A partir de sexta-feira, são esperados milhares de turistas no litoral, o que intensifica a possibilidade de demora na travessia pelas balsas entre Santos e Guarujá. Desde o acidente com o navio que atingiu a estrutura das balsas, no dia 20 de junho, a travessia tem sido cada vez mais lenta, gerando reclamações constantes da população. Tudo isso poderia ser evitado com a construção de um túnel para uma ligação seca entre os municípios.

A travessia das balsas tem operado com restrições devido ao acidente que danificou um dos três atracadouros de veículos e destruiu o único píer destinado ao embarque de ciclistas e pedestres. Desde então, os ciclistas precisam utilizar as mesmas balsas que os carros e motos, o que tem afetado o tempo de espera.  Esse tempo tem oscilado em torno de 25 minutos do lado de Santos e 45 minutos do lado de Guarujá. O sistema opera atualmente com uma gaveta de embarque (plataforma por onde os veículos passam para entrar e sair das balsas) a menos em Guarujá, o que ocasiona mais transtornos aos usuários do município.

A chefia de Operações do Departamento Hidroviário prevê que os problemas com a travessia devam se prolongar pelas próximas semanas. A Dersa recomenda que os usuários evitem os horários de pico e aos sábados, domingos e feriados, recomenda-se antecedência e, se possível, que seja utilizada uma rota alternativa. É possível consultar as condições da travessia pelo telefone 0800-7733711.

Túnel imerso

Um túnel imerso construído na região promoveria segurança no canal portuário e resolveria o problema de mobilidade urbana entre Santos, Guarujá e a Baixada Santista, já que o modal não cria obstáculos físicos à navegação das balsas e dos navios. O conforto na travessia seria o grande diferencial para a população: ao invés de gastar em média 45 minutos para atravessar as duas margens, o usuário levaria cinco minutos de túnel. Com a construção do túnel, o sistema de balsas seria utilizado apenas para fins turísticos.

A campanha Vou de Túnel trabalha para que a população se junte cada vez mais a essa ação por melhoria da mobilidade pública. Para isso, tem ampliado a conscientização sobre a importância do modal, realizando blitz nas ruas e promovendo diálogos e debates nas mídias, imprensa e instituições. O objetivo é mostrar todas as vantagens da obra para o Porto de Santos e para as cidades. A cada dia, mais pessoas, instituições e autoridades integram essa luta pela viabilização do túnel imerso que acomodará ciclistas, pedestres, skatistas, motoristas de automóveis de ônibus e VLT e que será capaz de promover uma grande transformação na região.