fbpx

A notícia sobre a entrega das moções de apoio ao túnel para o governo federal, ontem (29), repercutiu em toda a imprensa regional. A obra vai ser incluída no processo de concessão da gestão do Porto de Santos à iniciativa privada em outubro deste ano, quando será concluído o estudo sobre a desestatização, disse o secretário Nacional dos Portos, Diogo Piloni. No segundo semestre de 2022 deve começar o processo de concessão que definirá o privado a ser encarregado da Autoridade Portuária e também da construção do túnel”, diz reportagem do jornal Costa Norte.

A equipe Vou de Túnel acompanhou a reunião em Brasília, ontem. Representantes de seis municípios da região, com apoio da deputada federal Rosana Valle (PSB/SP) e da campanha Vou de Túnel, representada pelo porta-voz Eduardo Lustoza, foram recebidos pelo secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura (SNPTA/MINFRA), Diogo Piloni e Silva, em Brasília (DF).

Na sua fala, Piloni destacou que a opção pelo túnel foi a mais conservadora por oferecer o mínimo de riscos, além de estar aderente aos objetivos portuários e de mobilidade. “Ficamos muito felizes de ter um conjunto de interesses alinhados. Temos um apelo muito grande para que se torne realidade. A solução é o túnel e ele vai acontecer”, enfatizou.

O secretário reforçou a decisão do Estado de incluir a obra no projeto de desestatização do Porto de Santos e se comprometeu a abrir consulta pública até fim de outubro ou início de novembro. “A grande notícia é que o túnel, efetivamente, será materializado, e teremos um grande desenvolvimento da nossa região, principalmente na área social, de mobilidade, e na geração de empregos”, comemorou o porta-voz da Campanha Vou de Túnel, Eduardo Lustoza.

Desenvolvimento integral da comunidade

A deputada federal Rosana Valle (PSB/SP) relatou que a luta pela ligação seca entre as duas cidades já dura 100 anos, mas que, somente agora, os municípios da região estão unidos em prol de uma solução de comum acordo: “Todas as Câmaras Municipais fizeram menção de apoio ao projeto”. Segundo ela, nos últimos anos, observou-se um desenvolvimento mais intenso das cidades do interior, e o litoral ficou esquecido. A construção do túnel será, portanto, uma maneira de impulsionar o local. Opinião compartilhada pelo presidente da União dos Vereadores da Baixada Santista (UVEBS), Betinho Andrade. De acordo com ele, a construção do túnel permitirá o desenvolvimento de toda a comunidade, integramente. “É também a opção mais viável tecnicamente para fazer a ligação seca sem prejudicar o desenvolvimento do porto e nem a instalação do aeroporto, que está em estudo”.