fbpx

Foto: Divulgação

O candidato a prefeito de Santos avalia o processo para a realização da ligação seca (túnel ou ponte) como necessário e complexo, e deve envolver composição entre municípios, União e agências de financiamento. “Os entes federativos deveriam tratar o tema como política de Estado e não apenas de governo”.

Douglas defende o túnel e afirma que, se eleito, defenderá a ligação seca através de gestões junto aos demais gestores públicos, para construção de uma política comum. Defende a cooperação na construção de uma política de Estado, envolvendo agenda portuária, mas também no plano de mobilidade intermunicipal.

Fonte: Portogente