fbpx

O processo de desestatização do complexo portuário e a votação da BR do Mar são alguns desses fatores

Uma série de condições está colaborando para criar um panorama favorável à construção do túnel que ligará as duas margens do Porto de Santos. O processo de desestatização do complexo portuário e a votação da BR do Mar são alguns desses fatores eu apontam a essa direção.

A estimativa é que o projeto de lei que instituiu a BR do Mar seja pautado para votação em menos de um mês. Com a proposta, a navegação de cabotagem deverá ser amplamente estimulada, favorecendo inclusive a chegada de navios de grande porte ao Porto de Santos. Logo, um projeto de modal eficiente como o do túnel, que não obstrui o canal, é imprescindível no processo de logística do Porto. A proposta é inserir o projeto no processo de desestatização.

O diagnóstico da desestatização do Porto de Santos termina em abril. Essa primeira etapa consiste em um levantamento dos principais pontos da desestatização, programada para ocorrer no ano que vem. A expectativa é que a publicação de pedido de doações de estudos sobre a obra do túnel ocorra em março.

O engenheiro e professor da Unisanta Adilson Gonçalves, defende a desestatização do Porto para que o setor ganhe em autonomia e em investimentos. Em artigo publicado no jornal A Tribuna, ele cita a necessidade de revigorar o Conselho de Autoridade Portuária e valorizar a relação porto-cidade.

Gonçalves também ressalta que a desestatização deve ser pautada pela sustentabilidade plena. Ele destaca que a potencialização da dragagem para aprofundamento do canal, de modo a permitir a chegada de grandes navios, e a inclusão da ligação seca por túnel entre os canais do Estuário, são algumas das importantes ações para ampliar a competitividade do Porto.