fbpx

Nova legislação para o transporte de carga entre portos brasileiros exige aplicação de recursos em infraestrutura

A Câmara dos Deputados aprovou na última segunda-feira (7) o projeto de lei 4.199 de 2020, que estabelece incentivos para a navegação de cabotagem.  Com isso, a operação nos portos vai demandar infraestrutura adequada para a movimentação de navios e de caminhões. Nesse contexto, aumentam ainda mais as expectativas de investimentos em logística no Porto de Santos, fazendo do projeto do túnel uma necessidade cada vez mais real e urgente.

A nova legislação para o transporte de carga entre portos brasileiros libera progressivamente o uso de navios estrangeiros no País sem a obrigação de contratar a construção de unidades em estaleiros locais. Ou seja, as empresas poderão alugar um navio vazio para uso na cabotagem.

O diretor da Terminal Investiments Limited (TIL), Patrício Júnior, afirmou em entrevista ao telejornal da TV Tribuna, de Santos, que a BR do Mar vai gerar um grande volume de movimentação de navios, exigindo a ampliação da capacidade operacional não só dos terminais, mas de caminhões. Por isso, será preciso investir para ampliar a infraestrutura dos portos.

Patrício Júnior informou que a empresa está otimista em relação ao futuro do Porto e planeja novos investimentos em Santos. O diretor lembrou que um navio de 4 mil TEUs necessita de 4 mil contêineres ou 4 mil caminhões para a movimentação das cargas. “Imagina 4 mil caminhões indo de Santos até a Amazonas? Precisamos investir em infraestrutura”, disse.

A empresa suíça tem interesses em investir no Brasil porque já movimenta grandes negócios no país. A meta é desembolsar R$ 600 milhões para reforçar o berço e aprofundar o calado para receber grandes navios de 366m e 400 m que já operam no mundo e não vêm no Brasil por causa de falta de condições no calado.

“Temos três terminais no Brasil em parceria, e a Portonave e Navegantes é 100% nossa.  Tem muita coisa que nós precisamos investir em infraestrutura”, destacou Patrício Júnior.

Em reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, o diretor da Terminal Investiments Limited confirmou que a empresa pretende investir no setor portuário de Santos. “Qualquer tender, licitação para contêineres que houver em Santos, a TIL vai entrar e pesado, estará investindo no porto”, reforçou, salientando a importância da infraestrutura dos portos.

Como a TIL, diversas outras empresas nacionais e internacionais têm interesse em investir no Porto de Santos, um dos mais promissores do Hemisfério Sul. O complexo movimenta 30% das trocas comerciais brasileiras e mesmo na pandemia superou as expectativas, alavancando a movimentação de cargas. Com a construção do túnel, a infraestrutura logística estará mais preparada para acompanhar o desenvolvimento do Porto.

Confira a entrevista completa de Patrício Júnior sobre investimentos no Porto: https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/edicao/2020/12/07/videos-jornal-da-tribuna-1-edicao-de-segunda-feira-7-de-dezembro.ghtml#video-9081841-id