fbpx

Um dos principais questionamentos sobre o projeto do túnel submerso ligando Santos ao Guarujá é a viabilidade financeira do projeto. A Autoridade Portuária está estudando este processo e afirmou recentemente que tem capacidade financeira para auxiliar com recursos na realização da obra. A informação foi divulgada pelo diretor de Porto & Negócios da TV Santa Cecília, Casemiro Tércio, durante entrevista ao programa Bom Dia, Cidades, da emissora.

 “Em conversa na Santos Export, a Autoridade Portuária me disse que tem recursos em caixa para pagar a diferença e fazer uma concessão administrativa. Esse cenário é possível. Quando o ministro falou para colocar no processo de privatização, podem ser feitas as duas coisas. Se quisermos que o túnel saia rapidamente, que se faça a concessão administrativa, com a SPA já coordenando isso no ano que vem”, revelou Tércio.

A apresentadora do Bom Dia, Natali Nanini, pontuou o apoio do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, ao projeto do túnel e ressaltou a possibilidade de o projeto integrar o processo de desestatização do Porto, dentro do Plano de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto (PDZ). Ao mesmo tempo, ela citou que a Ecovias entregou ao ministério o novo projeto da ponte que, segundo a concessionária, atende às especificidades apontadas pela pasta.

Diante desse cenário, Tércio ressaltou que, primeiramente, é importante fazer um posicionamento sobre o andamento dos dois projetos. Ele lembrou que o projeto da construção do túnel está em estágio avançado.

“O túnel já tem licença ambiental, projeto de engenharia, os ajustes diminuíram drasticamente as desapropriações e colocamos acessos diretor da perimetral. A ponte não tem licença ambiental. Solicitei o projeto novo à Ecovias para entender as modificações e após avaliação conseguiremos pontuar o que houve de mudança”, explicou.

De acordo com Tércio, no momento é preciso buscar financiamento para tirar o projeto do papel. “O túnel está equacionado. O que precisa é buscar financiamento. O valor líquido não excede R$ 300 milhões de reais”, disse.

É necessário, no entanto, que o governo estadual colabore com o processo. “É preciso que o governo estadual faça a sessão da licença ambiental para a Autoridade Portuária. É importante que a Dersa entregue oficialmente os projetos e o direitos de uso da licença ambiental, até para poupar e se colocar com uma postura cidadã com a cidade”, afirmou.

Outra dúvida que foi esclarecida por Tércio diz respeito à capacidade do túnel de diminuir o fluxo de caminhões na cidade. “O PDZ endereça a diminuição de caminhões de onde está o túnel para a Ponta da Praia. Ou seja, o trânsito da perimetral seria preponderantemente para veículos e da perimetral para o Saboó seria para caminhões”, explicou.

Por fim, Casemiro destacou a qualidade do túnel para atender tanto ao transporte de cargas, quanto o de pessoas: “Mesmo sabendo que esse translado entre caminhões de uma margem a outra diminua, o túnel vai ser usado para todos os serviços, tanto para a carga quanto para pessoas. E pode-se fazer a gestão do túnel durante o dia de caminhões, durante o rush, de Santos para Guarujá, limitando o acesso a caminhões. O Porto funciona 24h, então pode-se usar o túnel fora do horário do pico ao longo do dia para trânsito de caminhões para não conflitar com o cidadão que quer atravessar rápido”, finalizou.

Assista à entrevista completa no link: https://youtu.be/n0e3XkcsfEc?t=2100