fbpx

O grave acidente com um navio que destruiu parte do atracadouro das balsas no lado do Guarujá, ocorrido no último domingo (20) no Porto de Santos, repercutiu amplamente no País. O fato reacendeu em muitos moradores da região a importância de uma ligação seca segura para a travessia Santos-Guarujá, como o túnel, considerada por especialistas a melhor opção para a mobilidade pública, a segurança e expansão do cais santista.

O acidente provocou atraso de 45 minutos na travessia por balsa, obrigando as pessoas a recorrerem ao trajeto por rodovia. Nas redes sociais, muita gente lembrou que o sistema de balsas, atuando em um canal estreito como o Porto de Santos, não é eficiente, está obsoleto e precisa ser substituído por uma ligação seca eficiente entre as duas cidades.

Diante do acidente, a deputada Rosana Valle (PSB-SP) informou que agendou uma nova audiência pública na Comissão de Viação e Transportes, em Brasília, para definir tecnicamente o posicionamento para uma decisão futura sobre o tema. A escolha do projeto – ponte ou túnel – será definida pelo governo federal até setembro deste ano, e a proposta é ampliar o debate sobre o tema. 

A parlamentar lembrou nas redes sociais que o acidente não causou vítimas nem danos ambientais, mas reforçou sua convicção de que a ligação seca através do túnel submerso evitaria esse tipo de dano, proporcionando uma melhor mobilidade entre as duas cidades.

Especialistas em portos apontam que uma região portuária não pode ter no seu canal obstáculos à navegabilidade. Além do perigo para a população, erguer um obstáculo no canal pode gerar prejuízo para o para o setor portuário. Portanto, a construção do túnel entre as Santos e Guarujá seria uma solução mais barata e evitaria riscos de acidentes nas imediações.

A balsa que promove a travessia entre as duas cidades aguarda o momento em que não há nenhuma embarcação de grande porte para atravessar, o que acarreta filas na travessia. O projeto da Ecovia prevê que a ponte seria construída em uma região de manobra, prejudicando a navegabilidade no Porto de Santos. Qualquer obstáculo – ainda que não haja restrições com altura – amplia a estatística de um acidente, que pode implicar em perdas de vida e em prejuízo econômico para a atividade portuária, atestam especialistas.

Urgência da construção da ligação seca

O acidente reforçou a necessidade de agilidade na definição pelo encaminhamento da obra do túnel imerso entre os municípios. O engenheiro naval e ex-presidente da Autoridade Portuária de Santos, Casemiro Tércio de Carvalho, lembra que a experiência internacional atesta que a ligação seca nos portos do mundo é imersa.

“Não existe ponte em rota de navegação nos principais portos espalhados pelo globo. Inúmeros são os exemplos de países que têm apostado na construção de tuneis em detrimento de projetos considerados obsoletos do ponto de vista da segurança e que inviabilizam a passagem de navios maiores”, afirma.

Segundo Carvalho, o projeto do túnel imerso entre Santos e Guarujá segue as recomendações da PIANC (Associação Mundial de Infraestrutura de Transporte Marítimo), que indica a ligação via túnel como a melhor alternativa.

 O conselheiro da Associação de Engenheiros e Arquitetos de Santos e porta-voz da Campanha Vou de Túnel, Eduardo Lustoza, explica que uma ponte na região aumentaria o risco de acidentes, já que criaria filas no canal de navegação e, “ao reduzir velocidade, navios de grande porte têm sua manobrabilidade prejudicada e podem perder controle, o que pode causar colisões. Se houvesse um pilar de uma ponte no trajeto deste navio, o acidente poderia ser ainda mais grave e interditar o canal de navegação, com prejuízos severos para a operação do Porto de Santos”, explica Lustoza.     

O consultor lembra que o túnel imerso promoverá a inclusão social e sustentabilidade ambiental e econômica, é seguro e ampliará a mobilidade urbana, integrando as ciclovias e contando com uma via exclusiva para o Veículo Leve sobre Trilhos, reduzindo o tempo de deslocamento com o transporte público.

Confira o vídeo que mostra o momento em que o navio destrói o píer na travessia de balsas: https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/porto-mar/noticia/2021/06/21/video-mostra-momento-em-que-navio-destroi-pier-na-travessia-de-balsas-no-litoral-de-sp.ghtml